A Marca Dos Dias De Noé

21. Sinal: A Marca Dos Dias De Noé
“Assim como foi nos dias de Noé, será também nos dias do Filho do Homem: Comiam,
bebiam., casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o
dilúvio e destruiu a todos” (Lucas 17:26-27).
Jesus, ao falar da Sua Vinda, referiu-se aos dias do Dilúvio, cujas condições eram
semelhantes às que existiriam no tempo da Sua volta.
Este passo da Escritura põe abaixo a posição dos pós-milenialistas que crêem irá a Igreja
primeiro converter o mundo e assim preparar o advento do Milênio. A apostasia caracterizava
os dias de Noé. Bem podemos esperar idênticas condições nos que precederam a volta do
Senhor. Que tais condições estão presentes é fato que qualquer pessoa pode observar.
Primeiro: Jesus chama a atenção ao fato que nos dias que precederam ao Dilúvio o povo
se entregava às orgias do “comer e beber”. Esta observação não se refere a necessidade do
alimento para sustentar a vida, mas antes aos desregrados e licenciosos prazeres da mesa.
Segundo: O Senhor mencionou que os antediluvianos “casavam e davam-se em
casamento” Não há, certamente, nenhum mal em casar. Os comentaristas bíblicos salientam
que a estrutura do original hebraico implica a idéia de “desposar mulheres e repudiá-las.” Os
males da poligamia estavam, aparentemente, difundidos naqueles dias (Gên. 4:19).
Terceiro: Embora Noé, pregador da justiça, advertisse o povo da aproximação do Dilúvio,
sua advertência não foi ouvida (II Pedro 2:5). Igualmente Enoque, outro profeta da época,
avisou os seus contemporâneos do vindouro juízo. Pouca atenção também lhe deram à
admoestação.
Quarto: Aqueles foram dias de notáveis realizações. Naquele tempo construíram-se as
pirâmides. A Grande Pirâmide é um monumento cujos construtores, evidentemente, possuíam
conhecimentos de astronomia que só em época recente foram redescobertos. O próprio Noé,
auxiliado por outros operários (que não entraram com ele na arca) construiu uma embarcação
que rivaliza, em tamanho com os modernos navios.
Quinto: Eram de consternar as condições morais dos dias de Noé. É assaz lamentável
termos de admitir que se comparam às do nosso tempo. “Viu o Senhor que a maldade do
homem se havia multiplicado na terra, e que era continuamente mau todo desígnio do seu
coração” (Gên. 6:5). “A terra estava corrompida á vista de Deus, e cheia de violência” (Gên.
6:11).
Eis as condições que prevaleciam nos dias de Noé, e qualquer observador imparcial terá
de admitir que exibem marcada semelhança às condições morais do mundo hoje. Jesus disse
que seria assim ao tempo da Sua vinda. Devem, pois, ser olhadas como sinais seguros da
próxima reaparição do Filho do Homem.